Seguidores

domingo, 12 de abril de 2015

Pregação O Nome de Jesus Pr Sebastião Almeida


domingo, 2 de novembro de 2014

DEUS PERDOOU O MEU PECADO, E AS CONSEQUÊNCIAS?



GÁLATAS 6:7,8
7 Não vos enganeis:de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. 
8 Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna.

Muitas pessoas já me perguntaram sobre "o perdão das consequências do pecado”.
Ou seja, se Deus me perdoou, ele também perdoou as consequências do meu pecado?
Bom, o que devemos entender é que, embora não somos deste mundo, nós estamos no mundo. E para se viver neste mundo, não vivemos apenas nas leis de Deus mas também nas leis dos homens.
Existem regras, leis, protocolos que devem ser considerados e obedecidos mesmo sabendo que o nosso reino não é daqui, da terra.
Por exemplo; um cristão, sabendo que roubar é pecado, mas ele mesmo assim cai em tentação e rouba algo do seu trabalho, ele é flagrado pelas câmeras de segurança e o caso é levado para a direção da empresa, o que você acha que pode acontecer? Esse cristão pode achar que, pedindo perdão a Deus está tudo resolvido? Não! Ele vai ter que resolver com a empresa também.
É claro que, se esse cristão manifestar um arrependimento genuíno e deixar de cometer esse erro, encontrará o perdão do Senhor. Ou seja, como filho de Deus será perdoado! Mas as e consequências? Precisam ser concertadas também. Acredito que depois do perdão, Deus também manifestará a sua misericórdia. E, pode ser, que o diretor da empresa vendo o arrependimento daquele cristão, julga necessário dar-lhe mais uma chance. Mas, se o diretor da empresa expulsar aquele cristão que roubou sua empresa, mesmo que Deus o tenha perdoado, esse empresário está errado ou endemoniado? Claro que não! Ele estará no direito de executar as regras da empresa.
Agora pensa comigo, se esse cristão, que foi perdoado por Deus e também perdoado pelo seu chefe, mais uma vez for pego roubando, Deus o perdoará? Sim, Deus o perdoará! E as consequências agora? Será que o seu chefe deve mais uma vez perdoar aquele cristão que roubou sua empresa, mesmo que esse filho de Deus diga “Deus já me perdoou chefe!”? As consequências serão danosas. No mínimo, ele será expulso da empresa, fora a perda de direitos financeiros, você entendeu?
Vemos ver mais um exemplo: Um cristão fica declarando “Eu sou da fé” porém ele usa o cartão de crédito de forma errada, dizendo “vou comprar pela fé” mas não tem condições de pagar aquilo que está comprando. Quando a fatura chegar, e ele não tiver dinheiro, vai colocar a culpa em Deus, porque o dinheiro não chegou?
Ou ele vai reconhecer que fez errado? E se ele reconhece que errou e pede perdão e Deus (e Deus perdoa), isso significa que a conta está paga? Não! Aquele filho de Deus foi perdoado por Deus, mas vai ter que lhe dar com as consequências do seu erro, pagar o cartão! Claro, como falei no exemplo anterior, além de Deus perdoar e após ter visto seu arrependimento genuíno, creio que Deus manifestará a sua misericórdia para que aquele cristão consiga, de alguma forma, resolver esse problema. Porém, se esse cristão comete o mesmo erro, e mais uma vez compra o que não pode em nome da fé, e compra de novo, e de novo, o que você acha que vai acontecer? Se é uma fraqueza dele e esse filho de Deus reconhece que precisa de ajuda, com certeza Deus o perdoará (a pessoa), Isso não significa que Deus está concordando com isso e que a empresa de cartão vai perdoar a dívida! As consequências desse erro podem chegar a um nível muito danoso para aquele cristão, onde ele pode passar anos sem crédito no mercado, mesmo Deus já tendo perdoado, você entende isso?
Mais um e último exemplo: Um rapaz cristão namora uma garota do mundo (ou até cristã mesmo). Ele sabe que fazer sexo antes do casamento é pecado, mas mesmo assim ele está tendo uma vida sexual ativa com sua namorada. Esse rapaz está envolvido na igreja, trabalhando em departamento, e de repente, pessoas começam a comentar sobre o erro desse rapaz. O pastor fica sabendo e conversa com aquele rapaz trazendo a consciência de que ele estava vivendo de forma errada, se prostituindo e ainda sem temor de estar envolvido nas coisas de Deus. Aquele rapaz reconhece que errou, o arrependimento chega ao seu coração, ele pede perdão a Deus (Deus o perdoa) o pastor Também o perdoa, mas ele precisa ser disciplinado, parar por um tempo de participar daquele departamento até que ele mostre fruto de arrependimento e organize a sua vida. Após aquele tempo de disciplina, o pastor daquele jovem fica sabendo que ele foi para o motel com a garota, mesmo depois de tudo que foi falado e do tempo da disciplina. Mas uma vez o pastor o chama e o rapaz diz que está arrependido e pede perdão a Deus. Deus o perdoou? Sim, Deus o perdoou. O pastor também o perdoou, ele continua sendo membro do corpo de cristo, continua sendo filho de Deus, mas será que o pastor o colocará de volta ao departamento, mesmo sabendo que Deus o perdoou e ele também? Não! Isso pode comprometer a integridade do pastor em relação a palavra como também as outras ovelhas que estão se esforçando para viver uma vida de santidade, entende? O pastor deve aplicar a disciplina de acordo com a palavra. A disciplina, nesse caso, foi a consequência daquele pecado. Mesmo ele perdoado por Deus, pelo pastor e pela igreja, o rapaz precisa pagar o que é devido, reconquistar a confiança da liderança através de uma vida de santidade. Isso não significa que o pastor nem a igreja deixou de amar aquele rapaz. Mas as consequências foram criadas por ele mesmo.
Agora, aquele rapaz continuou tendo relações sexuais com sua namorada e agora descobre que ela está grávida! O desespero chega ao coração daquele jovem, ele se tranca no seu quarto e chora muito, pede perdão a Deus (E Deus o perdoa), mas isso significa que Deus vai fazer um “milagre” para que aquela criança não nasça? Não! A criança é a consequência! A criança tem culpa? Não! O rapaz Vai ter que lidar com essa criança pelo resto da sua vida, mesmo Deus tendo o perdoado, o pastor tendo o perdoado, a família tendo o perdoado, o mundo inteiro tendo o perdoado!
Então, toma cuidado com a sua vida, há consequências e consequências, algumas delas podem ser resolvidas mais rápidas, outras mais demoradas e outras para o resto da vida, mesmo você sendo perdoado por Deus!


Pr Eliezer Rodrigues.

Não dê ao Inimigo uma oportunidade para trabalhar na sua vida



Muitas pessoas hoje estão vivendo com menos que o melhor de Deus
porque permitiram que o medo grudasse e tomasse forma
na vida deles. O medo é a melhor arma que o inimigo usa para nos segurar. O medo não vem de Deus. A escritura nos fala que o medo nos traz tormento. Ele é designado para nos paralisar e nos afastar das bençãos de Deus. A boa notícia é que Deus é maior que o medo.
O poder Dele em você é maior que qualquer poder que venha contra você. Mas para andar no poder Dele, você tem que fechar a porta para o inimigo. Veja, o inimigo não pode ter acesso a sua vida
a menos que abra uma porta e dê acesso a ele.
É por isso que temos que ter cuidado com o que assistimos, o que ouvimos, o que lemos e o que dizemos.
Quando nós mesmos abrimos a porta para o medo, damos oportunidade ao inimigo.
Se você permitiu que o medo te roubasse em qualquer área da vida,
hoje você pode ser liberto – você pode acabar com o medo.
Dominar o inimigo começa por fazer a escolha
de fechar a porta para o medo recebendo o amor de Deus
e meditando nas promessas Dele. Receba a verdade Dele
e fale a verdade Dele. Deixe-o te libertar e te liderar a vitória
conforme você fecha a porta para o medo.
(Efésios 4:27) -

 Pr Paulo Neves

SANTO OU PECADOR





Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
2 Coríntios 5:17 

Ou você é pecador, ou você é Santo (separado para Deus). Não tem como ser os dois ao mesmo tempo, é isso que nós cristãos devemos entender. A Palavra nos diz que somos justos, e não existe pecador justificado ou justo pecaminoso. Ou você é pecador ou é redimido - perdoado e acolhido como filho.

Isso é um conceito básico a ser entendido. Ora, no que afinal consistiu o plano da Redenção? Vamos falar um pouco disso.
A Redenção foi um plano feito por Deus para resgatar a humanidade - o Verbo se tornar carne para vir ao mundo. Jesus veio para fazer um sacrifício e nos gerar perdão, porque sem derramamento de sangue não há remissão (Hb.9:22). Ele se fez propiciação pelos pecados de nós homens - contaminados antes com a semente pecaminosa de Adão. Uma vez contaminados, fomos destituídos de nosso propósito original de criação de sermos santos e sem pecado. Só com um sacrifício de perdão estaríamos aptos a nos relacionarmos com um Deus que não comunga com pecado algum. Então é aí que Jesus entra: para mudar o nosso destino ruim de natureza pecaminosa.

O homem foi criado sem pecado (LEIA Romanos 6), mas quando Adão peca, Deus tem que se afastar do homem. O "afastamento" de Deus não foi uma punição, mas é simplesmente contra a natureza dEle se relacionar com o pecado, e o pecado estava no homem.
Mas Deus amou tanto o homem que desejou voltar a se relacionar com ele plenamente! Então desenvolveu um plano para restituir o homem ao seu propósito original de ser SEM PECADO. Então ele envia o Messias na plenitude dos tempos para consumar esse plano de amor que consistia em, através do derramamento do sangue do Filho, redimir e fazer inculpável todo aquele que crêsse nEle

Cristo nos fez justiça de Deus. Toda a Redenção diz respeito a isso! Se fôssemos pecadores, continuaríamos distantes dEle e incapazes de sermos acolhidos como filhos. Ora, Deus não comunga com PECADO, isso não mudou! O que mudou então para nos relacionarmos com Ele? Fomos feitos justiça de Deus.
Foi exatamente esse o propósito de Jesus na cruz: levar nossos pecados. Uma vez levados, não estão mais em nós - e se não estão em nós, não somos pecadores.

O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
João 3:6

Você é carne? Não! Jesus mesmo o disse. Você é espírito porque é nascido do Espírito desde que creu em Jesus como Salvador. Sua carne pode ter inclinação para o pecado, mas você é não é carne, é espírito! É aqui que muitos crentes erram. Sua carne é pecaminosa e sempre terá que dominá-la pois ela não se converterá, mas você é espirito com a natureza de Deus - e é exatamente por isso que a Palavra diz que estes militam entre sim, e é por isso que você deve alimentar seu homem espiritual para vencer as carnalidades.

Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.
Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma.
Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor.
Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus.
Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.
Gálatas 2:16-20

Como é possível um crente viver de forma vitoriosa se não compreender que foi justificado. Ora, isso é um princípio básico! Não deixe que ninguém o engane: uma vez que recebemos a Cristo e sua abundante graça por meio da fé, obtemos constante perdão ao confessarmos nossos pecados a Ele. Somos verdadeiramente purificados, ao ponto de podermos adentrar Sua Presença como filhos dignos. O Pai olha para nós como ao próprio Cristo. Esse é o tamanho do perdão que já recebemos!

Satanás tenta cegar a Igreja para que ela não tome posse do que é seu por direito, começando pela dignidade de filho perdoado. Um crente que não se posiciona como vitorioso contra o pecado, deixa de viver de glória em glória, e passa a viver de culpa em culpa - ou então de arrependimento a arrependimento, porque peca o tempo todo.
Mas graças a Deus porque Ele nos proporciona a Verdade para uma vida de liberdade, e não de culpa!

A partir do momento que o nosso Jesus morreu na cruz por nós, somos livres da lei, mas isso não significa que por isso podemos pecar, muito pelo contrário, por amor ao que Cristo fez por nós, devemos nos tornar seguidores Dele, deixando-O viver a Sua vida dentro de nós. Devemos morrer para nós mesmos e viver para falar desse amor tão grande que supre a morte, que é o amor de DEUS por nós, que entregando o seu próprio filho, nos salvou de sermos mortos pelas nossas obras, fazendo com que o verbo que se fez carne fosse pregado numa cruz para nos livrar de toda a acusação. Agora, pois, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, mas somente para os que aceitaram o seu amor e andam nos seus caminhos, porque não adianta você entender a obra da Cruz e não ter uma mudança METANOIA (mudança de mente, de comportamento), pois o que faz os outros acreditarem que você uma nova criatura é a diferença que você faz entre eles, pois você se torno o sal da terra e a luz do mundo, e não adianta o sal ser insípido e a luz esconder-se embaixo da mesa, o sal deve salgar e a luz, iluminar a todos.

Filhinhos, não deixem que ninguém os engane. Aquele que pratica a justiça é justo, assim como ele é justo.
Aquele que pratica o pecado é do diabo, porque o diabo vem pecando desde o princípio. Para isso o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do diabo.
Todo aquele que é nascido de Deus não pratica o pecado, porque a semente de Deus permanece nele; ele não pode estar no pecado, porque é nascido de Deus.

1 João 3:7-9

VOCÊ NÃO É MAIS PECADOR! 
Deus abençoe a todos!! 


Fonte : Living for a Cause


sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Acabei de colocar minha fé em Jesus…agora o que faço?

Pergunta: "Acabei de colocar minha fé em Jesus…agora o que faço?"

Resposta: Parabéns! Você tomou uma decisão que altera sua vida daqui para a frente! Talvez agora você esteja perguntando: “Agora o que faço?” Como começo minha jornada com Deus?” Os cinco passos mencionados abaixo darão a você orientações da Bíblia. 

1. Tenha certeza de que você entende a salvação.

1 João 5:13 nos diz: “Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus.” Deus quer que entendamos a salvação. Deus quer que tenhamos a confiança e convicção de que somos salvos. Vamos de maneira rápida olhar cada ponto-chave da salvação:

(a) Todos pecamos. Todos nós fazemos coisas que desagradam a Deus (Romanos 3:23).

(b) Por causa do nosso pecado, nós merecemos o castigo de separação eterna de Deus (Romanos 6:23).

(c) Jesus morreu na cruz para pagar o castigo que nossos pecados mereciam (Romanos 5:8; 2 Coríntios 5:21). Jesus morreu em nosso lugar, tomando o castigo que merecíamos. Sua ressurreição provou que a morte de Jesus foi suficiente para pagar por nossos pecados.

(d) Deus dá perdão e salvação a todos os que colocam sua fé em Jesus — confiando na Sua morte como pagamento de nossos pecados (João 3:16; Romanos 5:1; Romanos 8:1).

Esta é a mensagem da salvação! Se você colocou sua fé em Jesus Cristo como seu Salvador, você é salvo! Todos os seus pecados são perdoados e Deus promete nunca deixar ou abandonar você (Romanos 8:38-39; Mateus 28:20). Lembre-se que sua salvação é segura em Jesus Cristo (João 10:28-29). Se você confia somente em Jesus como seu Salvador, você pode ter certeza de que você irá passar a eternidade com Deus no céu!

2. Encontre uma boa igreja que ensine a Bíblia.

Não pense em uma igreja como um edifício. A igreja são as pessoas. É de suma importância que crentes em Jesus Cristo congreguem uns com os outros. Isto é um dos principais propósitos da igreja. Agora que você colocou sua fé em Jesus Cristo, nós encorajamos você a encontrar, em sua área, uma igreja que pregue a Bíblia. Converse com o pastor. Fale com ele sobre sua nova fé em Jesus Cristo.

Um segundo propósito da igreja é ensinar a Bíblia. Você pode aprender como aplicar os princípios de Deus na sua vida. Entender a Bíblia é essencial para viver uma vida cristã forte e vibrante. 2 Timóteo 3:16-17 diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”

O terceiro propósito da igreja é adoração. Adoração é nossa expressão de gratidão a Deus por tudo que Ele tem feito! Deus nos salvou. Deus nos ama. Deus nos sustenta. Deus nos guia e dirige. Como poderíamos ser ingratos? Deus é santo, justo, amoroso, misericordioso e cheio de graça. Apocalipse 4:11 declara: “Tu és Digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas.”

3. Reserve tempo todo dia para focalizar em Deus.

É muito importante que tenhamos tempo cada dia para focalizar em Deus. Algumas pessoas se referem a este tempo como seu “tempo a sós.” Outros chamam de “devocional”, porque é um tempo em que nos devotamos a Deus. Alguns preferem reservar tempo de manhã, enquanto outros preferem à noite. Não importa como você chama este tempo ou quando você faz isto. O que realmente importa é que você regularmente ocupe tempo com Deus. Que eventos são componentes do nosso tempo com Deus?

(a) Oração. Oração é simplesmente conversar com Deus. Converse com Deus sobre suas preocupações ou problemas. Peça a Deus que lhe dê sabedoria e guie. Peça que Deus providencie por suas necessidades. Diga a Deus quanto você o ama e quanto você aprecia tudo que Ele faz por você. É isto que oração realmente é.

(b) Leitura da Bíblia. Além de aprender sobre a Bíblia na igreja — você precisa estar lendo a Bíblia por si mesmo. A Bíblia contém tudo que você precisa saber para viver uma vida cristã de sucesso. Ela contém a luz da Palvra de Deus que o guia a tomar decisões sábias, como conhecer a vontade de Deus, como ministrar a outros e como crescer espiritualmente. A Bíblia é a Palavra de Deus para nós. A Bíblia é essencialmente o manual de instrução de Deus de como devemos viver nossas vidas de uma forma que agrada a Ele e nos faz feliz.

4. Desenvolva relacionamentos com pessoas que o podem edificar espiritualmente.

1 Coríntios 15:33 nos diz: “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.” A Bíblia está cheia de advertências sobre a influência que pessoas “más” têm em nossas vidas. Passar tempo com aqueles que se engajam em práticas pecaminosas fará com que sejamos tentados por estas atividades. O caráter daqueles com quem nos associamos é “refletido” em nós. Por isso é tão importante nos rodearmos de pessoas que amam ao Senhor e estão comprometidas com Ele.

Tente ter um ou dois amigos, talvez de sua igreja, que possm ajudá-lo e encorajá-lo (Hebreus 3:13; 10:24). Peça que seus amigos o lembrem sempre a ser fiel em ter seu tempo devocional e na sua caminhada com Deus. Pergunte se você pode fazer o mesmo por eles. Isto não significa que você deva abandonar todos os seus amigos que não conhecem ao Senhor Jesus como seu Salvador. Continue sendo amigo deles e ame-os. Simplesmente informe a eles que Jesus transformou a sua vida e que você não pode mais fazer as mesmas coisas que você costumava fazer. Peça que Deus lhe dê oportunidades de compartilhar de Jesus com seus amigos.

5. Seja batizado.

Muitas pessoas entendem mal o significado do batismo. A palavra “batizar” significa imergir. Batismo é a maneira bíblica de proclamar publicamente sua nova fé em Cristo e seu compromisso de seguí-lo. O ato de ser imergido nas águas ilustra ser sepultado com Cristo. A ação de sair das águas é um retrato da ressurreição de Cristo. Ser batizado é identificar-se com a morte, sepultamento, e ressurreição de Jesus (Romanos 6:3-4).

Batismo não o salva. Batismo não lava seus pecados. Batismo é um simples passo de obediência e uma proclamação pública de sua fé em Cristo para salvação. Batismo é importante porque é um passo de obediência – publicamente declarando sua fé em Cristo e seu compromisso com Ele. Se você está pronto para ser batizado, você deve falar com um pastor.


Há vida após a morte?




Pergunta: "Há vida após a morte?"

Resposta: Há vida após a morte? A Bíblia nos diz: “O homem, nascido de mulher, vive breve tempo, cheio de inquietação. Nasce como a flor e murcha; foge como a sombra e não permanece... Morrendo o homem, porventura tornará a viver” (Jó 14:1-2,14)?

Como Jó, quase todos nós já fomos desafiados por essa pergunta. O que exatamente acontece conosco depois que morremos? Simplesmente cessamos de existir? É a vida uma porta giratória de saída e volta para a terra para se alcançar grandiosidade pessoal? Todos vão para o mesmo lugar, ou vamos para lugares diferentes? Existem mesmo céu e inferno, ou são estes apenas um estado de consciência?

A Bíblia nos diz que não apenas há vida após a morte, mas vida eterna tão gloriosa que “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Coríntios 2:9). Jesus Cristo, Deus em carne, veio à terra para nos dar o dom da vida eterna. “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53:5).

Jesus tomou para Si a punição que cada um de nós merece e sacrificou a Sua própria vida. Três dias depois, Ele provou que era vitorioso sobre a morte saindo da sepultura, em Espírito e carne. Ele permaneceu na terra por quarenta dias e foi visto por milhares antes de subir para a sua morada eterna nos céus. Romanos 4:25 diz: “O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação.”

A ressurreição de Cristo foi um evento bem documentado. O apóstolo Paulo desafiou pessoas a questionarem testemunhas oculares sobre a sua validade, e ninguém foi capaz de contestar a verdade da ressurreição. A ressurreição é a pedra angular da fé Cristã; porque Cristo foi ressuscitado dos mortos, nós podemos ter fé de que nós, também, seremos ressuscitados.

Paulo admoestou alguns dos primeiros cristãos que não acreditavam nisso: “Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, então, Cristo não ressuscitou” (1 Coríntios 15:12-13).

Cristo foi apenas o primeiro de uma grande colheita daqueles que serão ressuscitados para a vida mais uma vez. A morte física veio através de um homem, Adão, do qual somos todos descendentes. Mas todos aqueles que foram adotados para a família de Deus através da fé em Jesus Cristo terão uma nova vida (1 Coríntios 15:20-22). Tal como Deus levantou o corpo de Jesus, assim serão os nossos corpos ressuscitados quando Jesus voltar (1 Coríntios 6:14).

Todos seremos, no final, ressuscitados, mas nem todos irão para o céu juntos. Uma escolha deve ser feita por cada pessoa nesta vida para determinar para onde ela vai na eternidade. A Bíblia diz que está marcado para que nós morramos uma vez, e após isso virá o julgamento (Hebreus 9:27). Aqueles que foram feitos justos irão para a vida eterna no céu, mas os incrédulos receberão punição eterna, ou inferno (Mateus 25:46).

O inferno, como o céu, não é apenas um estado de existência, mas um lugar literal, e muito real. É um lugar onde os injustos receberão incessante e eterna ira de Deus. Eles receberão tormento emocional, mental e físico, sofrendo conscientemente de vergonha, arrependimento e desgraça.

O inferno é descrito como um abismo sem fim (Lucas 8:31, Apocalipse 9:1), e um lago de fogo, queimando com enxofre, onde os seus habitantes serão atormentados dia e noite para todo o sempre (Apocalipse 20:10). No inferno haverá choro e ranger de dentes, indicando intensa tristeza e raiva (Mateus 13:42). É um lugar “onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga” (Marcos 9:48). Deus não tem prazer na morte dos ímpios, mas deseja que eles se voltem contra seus desejos pervertidos para que possam viver (Ezequiel 33:11). Mas Ele não irá nos forçar à submissão; se nós escolhermos rejeitá-lo, Ele tem pouca escolha a não ser nos dar o que nós queremos – uma vida longe Dele.

A vida na terra é um teste – uma preparação para o que há de vir. Para os crentes, é a vida eterna na presença imediata de Deus. Então, como nos tornamos justos e aptos a receber esta vida eterna? Há apenas um caminho – através da fé e confiança no Filho de Deus, Jesus Cristo. Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente” (João 11:25-26).

O dom gratuito da vida eterna está disponível para todos, mas requer que neguemos alguns prazeres do mundo e que nos sacrifiquemos para Deus. “Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus” (João 3:36). Nós não teremos a oportunidade de nos arrependermos dos nossos pecados após a morte porque uma vez que nós estivermos face a face com Deus, não teremos escolha a não ser acreditar Nele. Ele quer que nos cheguemos a Ele em fé e amor agora. Se nós aceitarmos a morte de Jesus Cristo como pagamento pela nossa rebelião pecaminosa contra Deus, teremos garantida não só uma vida de significado na terra, mas também vida eterna na presença de Cristo.

Se você quer aceitar Jesus como seu Salvador, aqui está uma oração modelo. Lembre-se que fazer esta oração ou qualquer outra oração não irá salvar você. Apenas confiando em Cristo você pode ser salvo do seu pecado. Esta oração é simplesmente uma forma de expressar para Deus a sua fé Nele e agradecer por lhe dar a salvação. “Deus, eu sei que pequei contra Ti e mereço punição. Mas Jesus Cristo tomou a punição que eu mereço para que, através da fé Nele, eu pudesse ser perdoado. Eu me volto contra o meu pecado e ponho a minha fé em Ti para salvação. Obrigado por Tua graça e perdão maravilhosos – o dom da vida eterna! Amém!”

Você tomou uma decisão por Cristo por causa do que você leu aqui? Se sim, por favor clique no link abaixo.
 "Aceitei Cristo Hoje" 

http://deusevida1.blogspot.com.br/2014/01/acabei-de-colocar-minha-fe-em.html

fonte- gotquestions


terça-feira, 5 de novembro de 2013

O sexo oral ,entre casados, é pecado???




     O sexo oral, entre casados, é pecado???

Quero deixar bem claro aos amados irmãos em Cristo que, como pastor pentecostal, jamais serei a favor de liberalismos e libertinagens que existem no meio dos que se dizem evangélicos, mas que vivem fazendo o que querem. Estes, não tem compromisso com a Seara, e com suas rebeldias desenfreadas, vivem em trevas, sem o conhecimento de Deus. O artigo abaixo destina-se a casais realmente casados, que buscam o esclarecimento de dúvidas em suas intimidades sexuais, e encontram-se turbados por ouvirem aqui e ali pregações de "...é proibido isso..."..."...é proibido aquilo...", sem nenhuma base bíblica que possa ao menos nos dar uma segurança do que somos restringidos.
    
A inclinação da carne é morte. Referindo-se aos frutos da carne que estão em Gálatas 5:19-21: "Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia, a idolatria, a feitiçaria, as inimizades, as contendas, os ciúmes, as iras, as facções, as dissensões, os partidos, as invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus". Nada tem a ver com o relacionamento sexual de um casal. Ou iremos todos aderir ao celibato dos padres, para não cumprirmos as "vontades da carne"??? O sexo oral tem sido, por alguns cristãos, abominado como um pecado mortal. Mas porque? Qual a base bíblica para tal proibição?? Estaríamos diante de uma real santificação, ou de um extremo fanatismo que enxerga as formas de carícias como pornografia e "pecado"?

A pornografia tem deturpado o verdadeiro significado do sexo, a verdadeira imagem de uma relação sexual sadia. Quando falamos em sexo oral, a primeira coisa que vem a mente da maioria das pessoas são as imagens repugnantes já vistas em revistas ou filmes pornográficas. É certo que não iremos, em nome da liberdade, fazermos "de tudo", mas se mantivermos o sexo numa relação de eterna monotonia, sem suas carícias, cairemos numa terrível decepção e frustração, achando que servimos a um Deus que "proíbe tudo", até mesmo depois de estarmos casados. Quem ama a sua esposa, ou esposo, acha nela ou nele a sua beleza, e jamais sentirá condenação em colocar a boca em qualquer parte do seu corpo, pois os dois já são uma só carne! Se não há base bíblica para proibir o sexo oral, isso não se oriunda de falsos moralismos, hipocrisia de pessoas que não conhecem a bíblia, dos achismos pentecostais que criam, sob línguas estranhas (algumas muito estranhas mesmo), falsas revelações, que ao invés de promoverem edificação só trazem confusões e intrigas?! 
"Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência, proibindo o casamento e ordenando a abstinência dos manjares que Deus criou para os fiéis e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças". (1 Timóteo 4:2,3) 


Uma das desculpas dos que acham o sexo oral um pecado, é que a "sua boca é para louvor e adoração ao Senhor", e não para "essas coisas". Se a boca é somente para orar, louvar e pregar, não vai se alimentar mais? Realmente os nossos lábios são mesmo para louvor e adoração ao Senhor, assim como todo o nosso corpo é templo do Espírito Santo. Se sexo oral é pecado, e a bíblia não menciona, o que dizer do beijo na boca? A bíblia também não menciona! É pecado?? Se essas pessoas alegam que a boca é para louvor e adoração, eles beijam a esposa na boca? Porque?? Porque é permitido o beijo na boca (uma forma de carinho que não deixa de excitar, dependendo da ocasião) e não é permitido o sexo oral?!

Se a boca é para pregar, orar e glorificar, e as MÃOS? Não são utilizadas para ungir? Para impor as mãos sobre os enfermos? Para orar pelos irmãos? A esposa não pode mais ser acariciada? A esposa não vai mais acariciar o seu esposo?? Vão fazer sexo como dois animais? Só encostam e pronto?

É difícil entender algumas proibições de alguns irmãos, que, movidos pela emoção de "santificarem" tudo, criam heresias e achismos, frutos da falta de conhecimento bíblico, muitas vezes movidos mesmo por invejas, ciúmes, pelo velho "ouvi dizer", e etc. Ao fim de tudo, a vida cristã vai se tornando um "fardo pesado" onde "não pode isso", "não pode aquilo", sem nenhum mover de Deus, e somente proibições, censuras, que criam mais apostasia, do que o crescimento do Reino de Deus. Ao invés de pregarem o Evangelho (ordem do Senhor Jesus: "Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura". Marcos 16:15) querem pregar outro evangelho. Um evangelho cheio de legalismos, onde se vê sexo como pecado e coisa suja. Esse não é o evangelho do Senhor Jesus Cristo. O Evangelho do Senhor Jesus Cristo é aquele em que as pessoas são livres, e são tocadas por Deus, e não pelo homem, para abandonar práticas que considerem pecado. E com base nas Escrituras.  

Quem melhor para nos mostrar gestos de carícias, do que Salomão, em Cantares, quando ele coloca vinho no umbigo de sua amada, o vinho escorre, e ele o bebe! Com certeza o vinho escorreu pela parte íntima dela. Mas como foi dito, sendo em formas de carícias, e não de libertinagem! Não podemos deixar de satisfazer a mulher, da mesma forma que ela nos satisfaz. O casal é uma só carne!


 “Se alguém ensina alguma doutrina diversa, e não se conforma com as sãs palavras
de nosso Senhor Jesus Cristo, é soberbo, e nada sabe”. (1 Timóteo 6:3)

"Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; as quais tem, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne". (Colossenses 2: 20-23)

"Fugi dos escribas, que gostam de andar com vestes compridas" (Marcos 12:38)


Denis de Oliveira é pastor da Assembleia de Deus, Ministério Poder de Deus, RJ

domingo, 20 de outubro de 2013

Oportunidade perdida




Você se lembra de Esaú? Esaú vendeu o seu direito de primogenitura por um prato de lentilhas. E “… Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou” (Hebreus 12:17). Esaú teve a oportunidade de herdar a benção da primogenitura, mas ele a vendeu. Ele deixou a oportunidade passar por ele!

Judas é outro exemplo de alguém que vendeu e negligenciou a oportunidade de se mover com Deus. Se você se lembra, Judas começou andando com o Senhor. Pedro disse em Atos 1:17 “...Porque foi contado conosco e alcançou sorte neste ministério”. Mas mesmo assim, com trinta moedas de prata, Judas vendeu sua parte naquele grande ministério, e outra pessoa foi escolhida para preencher seu lugar. (Mateus 26:14-16 e Atos 1:25).

Você pode dizer, “Bem, isto não sou eu. Eu nunca teria me vendido.” Mas amigo, as pessoas estão se vendendo todos os dias por coisas tão baratas. Alguns estão se vendendo por um pouco de prazer e um pouco de diversão. Alguns estão se vendendo por apenas alguns sorrisos de algumas pessoas.

Eu, às vezes, digo a história dos quatro adolescentes do Norte do Texas que negligenciaram sua última oportunidade.

Uma noite os jovens foram para uma Igreja pequena onde eu ocasionalmente fazia cultos. Um evangelista convidado estava pregando, e o prédio estava apenas 2/3 cheio. Eles entraram e se assentaram no fundo na Igreja.

E o evangelista estava pregando, e um dos adolescentes caiu em convicção do Espírito Santo. Depois da sua mensagem, o evangelista fez o apelo. Ele podia ver que Deus estava lidando com um dos jovens no fundo da Igreja, então ele andou pelo corredor até onde o jovem estava. Os outros três adolescentes estavam lá, provocando. Mas aquele garoto estava chorando.

O evangelista tomou o jovem pela mão e disse “filho, venha, dê a sua vida a Jesus. Deus está falando com você”.

O garoto falou “Eu sei que Ele está”. E ele começou a ir para o altar. Mas então, um dos seus amigos tocou na sua costela e sussurrou “Mulherzinha!” Então o rapaz parou e disse “Bem, eu não vou hoje a noite. Mas você ore por mim”.

O evangelista se virou e voltou pelo corredor. E aqueles quatro jovens correram para fora da Igreja, batendo a porta. As pessoas podiam ouvi-los lá fora rindo enquanto entravam no carro modelo A-Ford e saíram.

Havia um trilho que passava atrás da Igreja. Era uma cidade pequena, e todos naquela área sabia que o trem de passageiros Katy Flier passava toda noite. Ele não parava; apenas passava pela cidade.

Bem, ninguém sabe por certo o que aconteceu ou o que aqueles garotos estavam pensando. Talvez eles estivessem tão ocupados rindo e se divertindo que eles não perceberam que eles dirigiram direto para os trilhos em frente do trem que estava vindo. O trem de passageiros Katy Flier demoliu o carro modelo A-Ford.

Em um momento, todos os quatros garotos foram para a eternidade. Eles morreram e foram para o inferno. Aquele jovem se vendeu por alguns sorrisos e algumas pessoas tolas. Uma oportunidade negligenciada pode trazer arrependimento pelo resto da sua vida. E em alguns casos pode afetar outros também.

Por exemplo, em II Reis 5 você lê a história de Naamã que foi curado da lepra depois de se banhar sete vezes no rio Jordão pela instrução do profeta Eliseu. Agora Eliseu não aceitou a recompensa por gratidão que Naamã ofereceu a ele Mas o servo de Eliseu, Geazi secretamente foi até Naamã e mentiu para ele, dizendo, “Meu senhor não aceitaria nada para ele mesmo, mas ele disse que seria bom receber a prata e as vestes para dois dos seus profetas que chegaram depois que tu saíste”.

Naamã estava tão agradecido por ter sido curado que deu a Geazi as roupas e o dobro do dinheiro que ele havia pedido. Então Geazi escondeu os bens e voltei para o seu senhor. Mas Eliseu sabia pelo Espírito de Deus o que Geazi havia feito, e ele disse “A lepra que estava em Naamã passou para ti e para tua semente para sempre…” (II Reis 5:27).

Agora as pessoas às vezes se perguntam “Porque o profeta não simplesmente orou por Geazi e sua família?” Bem, não adiantava nada orar por eles. Então algumas pessoas se confundem, elas pensam que eu digo isto porque era a vontade de Deus para que Geazi e seus descendentes fossem afetados.

Não, Deus já tinha estabelecido uma aliança com Israel que se eles andassem e mantivessem os Seus estatutos, Ele tiraria a doença do meio deles (Exodo 23:20-25). Então não era a vontade de Deus para Geazi e seua família serem atingidos com a lepra. Mas veja, Geazi trouxe isto sobre ele mesmo, ele negligenciou em tomar a oportunidade certa, tomou a decisão errada. Ele entrou pela porta errada!

Muitos pastores dirão a você que a coisa mais difícil no mundo é ver membros da Igreja sofrerem as conseqüências de suas próprias decisões erradas e oportunidades negligenciadas. Podemos ensinar e pregar a verdade, encorajando pessoas a fazer a vontade de Deus. Mas, nunca poderemos ajudar alguém que não quer ser ajudado.

Kenneth Hagin

Não mande Deus embora



Muito tempo atrás, um jovem em Ohio foi sentenciado a morte por cometer um terrível crime. A mãe daquele jovem implorou para que ele recebesse prisão perpétua, e finalmente ela ganhou uma audiência com o governador. Ela literalmente se ajoelhou diante do governador e implorou com lágrimas até que ele concordasse em conversar com o seu filho.

Então,  o governador se vestiu como um ministro e foi visitar o filho daquela mulher na penitenciária, (naqueles dias, ministros eram reconhecidos pela forma que vestiam). Mas quando o jovem viu o guarda escoltando um homem vestido como ministro, ele disse “Lá vem o pregador me reclamar. Eu não quero ter nada com você”.

O governador não disse ao jovem quem ele era. Ele simplesmente disse “Eu vim para te ajudar”.

O jovem respondeu “Bem, eu não preciso da sua ajuda! Eu posso me virar sozinho”.

“Sim, mas sua mãe me pediu para eu vir”.

Ele disse “não me importa. Eu não estou interessado. Apenas vá embora!”.

O governador persistiu “Mas, se você soubesse quem eu sou e para quê eu vim, você me ouviria, porque eu posso te ajudar”.

“Eu não estou nem um pouco interessado em saber quem você é ou o que você veio fazer. Eu ficaria muito feliz se você simplesmente fosse embora”.

Então o governador apenas disse “Obrigado, moço”. E saiu.

Depois de algum tempo o guarda voltou e perguntou “O que o governador queria com você?”

“O governador?”

“Sim”, o guarda respondeu. “Aquele homem vestido como um pregador era o governador. Você não o reconheceu?”.

“Não!” o jovem respondeu. Ele começou a puxar o seu cabelo em desespero gritando “Oh meu Deus! Oh meu Deus! Ele disse que queria me ajudar, ele queria me ajudar e eu não quis ouvir!”

Mais tarde quando eles levaram aquele jovem para a sentença de morte, aqueles foram as últimas palavras que eles podiam ouvir antes de colocar o capuz sobre a sua cabeça “Meu Deus, ele queria me ajudar – e eu não o deixei!”.

Amigo, o inferno estará cheio de pessoas que vão gritar “Ele queria me ajudar, e eu não deixei!”.

Vai estar cheio daquelas pessoas que “entravam e saiam do lugar santo” (Eclesiastes 8:10) – pessoas que sentaram na Igreja ou que tiveram uma oportunidade de aceitar o Evangelho mas rejeitaram. Tenha a certeza de que você não está na companhia do ímpio!

Eclesiastes 8:10 tem um mensagem poderosa que todo pecador e cristão precisa ouvir. Oportunidade negligenciada traz arrependimento!

Então, se você não é crente, não mande Deus embora. Não negligencie a oportunidade que está diante de você agora para vir até Deus e aceitar Jesus como Salvador (João 1:12 – Romanos 10:9,10).

Mas se você é nascido de novo, lavado pelo sangue de Jesus, não negligencie a maravilhosa oportunidade que você tem de andar em obediência a Deus e Sua Palavra. E quanto mais portas abertas para você, aproveite cada oportunidade de se mover com Deus. Dê um passo mais perto da plenitude de Deus e experimente e maiores bênçãos que Ele providenciou para você! Então ao invés de viver uma vida cheia de arrependimentos, sua vida será cheia de grande regozijo!

Kenneth Hagin

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

NADA ME FALTARÁ



(Salmo 23:1) “O Senhor é meu pastor; nada me faltará.”

A Bíblia está repleta de passagens que nos mostram que Deus conhece a cada um de nós intimamente. Ela nos diz que Ele nos conhecia antes que fossemos formados no ventre de nossa mãe (Jr 1:5), e nos chama pelo nome.

Isso não é incrível? O Deus todo poderoso, criador do Universo e tudo que nele há, conhece a cada um de nós pelo nome! Ele olha para nós como indivíduos, nos ama e se importa conosco em um nível pessoal. E Deus quer operar coisas grandes e boas em nós! Não se trata de sermos qualificados ou merecedores, mas tem a ver com quem ele é e quem nós somos. Ele é nosso pastor e nós somos suas ovelhas. Precisamos crescer nesse entendimento de que somos ovelhas do Senhor e por isso somos alvos de seu cuidado incessante.

O diabo tem a estratégia de nos fazer sentirmos sozinhos, desamparados, como se ninguém se importasse, mesmo frequentando uma igreja. A Palavra nos diz que somos parte do Corpo de Cristo e, no entanto, ao invés de nos sentirmos acolhidos, muitas vezes temos a sensação de sermos mais um dentro de uma massa de pessoas, esquecidos dentro de tantos outros problemas maiores ou mais importantes que os nossos. Isso é uma mentira!

Deus vê tudo e se importa com cada detalhe de nossas vidas. E como ovelhas, nosso lugar é dentro de um rebanho. É lá que somos cuidadas pelo pastor. A ovelha desgarrada não se destaca, pelo contrário, ela fica perdida.

Temos que nos lembrar que Deus é um pai essencialmente bom e fiel à sua Palavra. O amor que ele tem por nós não segue uma lógica! É por isso mesmo que precisamos exercer fé ao nos relacionarmos com ele. A Palavra diz em Hebreus 11, versículo 6, que sem fé é impossível agradar a Deus porque é necessário que aquele que se aproxima dele creia que ele existe e que é o recompensador daqueles que o buscam.

Qual o grande remédio contra a ansiedade, o pânico, a preocupação, a inquietação? Entrar no descanso, recebendo a revelação e crendo que Deus é nosso pastor e cuida de nós – e nada nos falta.

Precisamos nos alimentar da Palavra, pois esse é o segredo para recebemos a revelação de quem Cristo é. É através dela que nossa fé é fortalecida para vivermos não segundo a lógica ou sentimentos, mas pela fé – crendo que Deus se importa conosco em cada detalhe que se relaciona a nós!

Tudo o que o diabo quer é que vivamos sob o domínio do medo, mas Deus nos capacita a ser aquilo que ele nos chamou para ser, e ele nos chama pelo nome. Este é o momento de entrarmos no descanso, onde existe liberdade, provisão, paz e alegria.

Cresça em fé, viva vencendo, seja uma benção!

Fonte Nova Igreja

VIDEOS

Loading...