Seguidores

quinta-feira, 19 de abril de 2012

NA PRÁTICA DO AMOR




“Se o boi ou a ovelha de um israelita se extraviar e você o vir, não ignore o fato, mas faça questão de levar o animal de volta ao dono. Se este não morar perto de você ou se você não conhecê-lo, leve o animal para casa e fique com ele até que seu compatriota venha procurá-lo e você possa devolvê-lo. Faça o mesmo com o jumento, com a capa e com qualquer coisa perdida que encontrar. Não ignore o fato. Se você vir o jumento ou o boi de um israelita caído no caminho, não o ignore. Ajude-o a pôr o animal em pé.” (Deuteronômio 22:1-4 NVI)



Esse texto não trata explicitamente de amor, mas trata de fazer o que é certo em consideração ao próximo. E isso, segundo Jesus, é amar, sabendo que o cumprimento da Lei é o amor. Os dois maiores mandamentos são: “Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. (Mateus 22:37-39 NVI)

AS OPORTUNIDADES DE AMAR FAZEM PARTE DO NOSSO COTIDIANO


Para os que vêem no amor apenas sua face romântica, o ato de recolher um animal perdido em casa não se parece nada com o amor das telas de cinema ou dos contos de fadas. Mas o amor não é um sentimento que, de tão nobre, deva ser guardado e reservado para ocasiões especiais ou para a pessoa certa. Amor é para o dia a dia, seja para um ato de heroísmo, romantismo ou para apenas devolver um boi perdido.


AS OPORTUNIDADES DE AMAR INTERFEREM EM NOSSOS PLANOS



Elas são inconvenientes, e isso fica claro quando o texto adverte: “Se... você o vir, não ignore o fato”. Ou seja, nesse caso, fazer o que é certo implica em que o sujeito deveria capturar o animal perdido, caso estivesse solto ou libertá-lo, caso estivesse preso numa vala, por exemplo. De um jeito ou de outro haverá uma boa dose de trabalho, desgaste e até cansaço. O amor faz a gente alterar nossa agenda, remarcar nossos compromissos e colocar o outro como nossa prioridade.


O AMOR IMPLICA SACRIFÍCIOS


“Não ignore o fato”, diz o texto. Se ao menos o objeto perdido fosse uma xuxinha de amarrar cabelo, tudo bem! Mas não, um boi ou um jumento dão muito, muito mais trabalho. Onde colocá-los? Como alimentá-los? E por quanto tempo? Melhor seria deixar de lado e simplesmente ignorar, certo? Pois é, razões para isso não faltariam. Afinal as oportunidades de amar são cheias de justificativas para não se amar. Não é minha responsabilidade, problema de quem não cuida de seu boi, não é minha culpa, tô fora, isso dá muito trabalho, isso pode me trazer problemas e não é minha obrigação. Não parece justo interromper meus afazeres para cuidar de alguém, mas é justamente a coisa certa a fazer. A verdade é que diante das oportunidades de amar, sabemos muito bem o que fazer, e escolhemos o que dá menos trabalho, o que não exige sacrifícios.




AS OPORTUNIDADES DE AMAR NÃO OFERECEM GARANTIA ALGUMA DE RECOMPENSAS


Como se não bastassem todas as dificuldades implicadas na prática de amar, há algo pior. Quem se dispõe ao trabalho de “devolver o boi” o faz sem pretensões compensatórias. O amor custa caro para quem oferece, e não custa nada para quem o recebe. É de graça, é da Graça. Talvez você questione: Então por que amar? Por que se sacrificar em função de alguém ou correr o risco de me machucar sem nada em troca? Simples, porque nós também temos nossos “bois perdidos”, nós também precisamos de alguém que se sensibilize e que dê meia-volta e recupere algo nosso. Quantas pessoas já recuperaram nossa auto-estima perdida, nossa fé e força perdidas? Quantas pessoas já curaram nossas feridas? Quantas pessoas já nos estenderam as mãos e nos tiraram de alguma vala? E isso nos leva a mais uma lição: “Fica mais fácil amar se todos amam juntos”.

Talvez você que esteja lendo essa mensagem tenha um “boi perdido”, esse boi pode ser seu casamento, seu ministério, seus sentimentos, seus filhos, não importa, eu quero te encorajar na certeza que alguém não irá ignorar o fato, o que é seu será achado e restituído meu irmão, não importa o tempo e quantas pessoas omitirem isso, mas haverá alguém que irá te amar.

Deus deseja que seu povo não se perca, por isso nossa vida deve ser um grande depósito de achados e perdidos, temos responsabilidade pelo bem um do outro. Devemos assumir a responsabilidade de devolver o “boi perdido”, mas também o respeito e o amor próprio perdidos, a pureza perdida, a esperança e a fé perdidas. Filhos perdidos aos pais, maridos perdidos às suas esposas e famílias, porque um dia fomos o “boi” e Deus nos achou, Ele não ignorou o fato.


FONTE: IGREJA NOVA VIDA.

3 comentários:

  1. Paz do Senhor! Parabéns pelo seu blog. Que nosso Deus possa continuar abençoando seu ministério e te iluminado dando cada dia mais e mais sabedoria para postagens que possa continuar edificado a muitos. Se for possível visita meu blog: adjardimpaulistaalto2.blogspot.com.br - desde já estou te seguindo e aguardo o mesmo. Ficarei muito honrado. Saudações em Cristo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI LUCAS!
      MUITO OBG, FICO MUITO FELIZ!!
      TODA HONRA E TODAS GLORIA SEJA DADA AO NOSSO SENHOR.
      VOU VISITAR O SEU E ESTAREI SEGUINDO TB.
      FIQUE COM DEUS!!

      Excluir
  2. Paz e graça do Senhor Jesus gostei muito de seu trabalho Que Deus de a você muitas inspiraçoes abençoadas para continuar edificando vidas com suas mensagens

    ResponderExcluir

VIDEOS

Loading...